domingo, 13 de junho de 2010

O cavalo de pau do Ibope.

Depois do Datafolha, também o IBOPE teve que fazer sua correção drástica
Assim como a pesquisa Datafolha, pelo conjunto de trapalhadas que cometeu nas últimas medições de intenções de voto para presidente da república, o IBOPE não possui credibilidade nem confiabilidade para que eu possa estampar aqui os seus resultados.
Da mesma forma que a Rede Globo tem o direito de escolher as pesquisas que ela dá crédito e divulga, eu também me reservo ao direito de só divulgar e analisar apenas os resultados dos institutos que considero sérios e que tem demonstrado lisura nos resultados no histórico recente.
Nesse sentido, por serem estatisticamente mais confiáveis, defini que só vou divulgar como resultados e analisar as pesquisas dos institutos Sensus e Vox Populi, no entanto isso não impede que eu possa criticar resultados de outros institutos nem expor suas incoerências.
Em relação aos resultados da última pesquisa Ibope divulgados pela Rede Globo podemos fazer algumas considerações:
Os resultados ainda estão sendo manipulados dentro da margem de erro. A aproximação que teve que ser feita para corrigir a rota e aproximar dos resultados dos institutos confiáveis, proporcionou um cavalo de pau nas tendências observadas na última pesquisa do mesmo instituto.
Na última pesquisa, o IBOPE apontava uma estranha inversão de trajetória que só eles e o Datafolha tinham detectado, o que acirrou a divisão entre os quatro institutos de pesquisa mais conhecidos.
Na época, Datafolha e Ibope foram acusados de fraudar resultados para favorecer José Serra na busca por palanques e para evitar a debandada. Os outros institutos também eram acusados, só que pela velha mídia, mas vinham mantendo uma coerência nas tendências dos candidatos na série temporal.
Da manipulação grosseira para a dissimulada
Mesmo sendo apedrejados pela velha mídia, os resultados questionados de Sensus e Vox Populi acabam sendo confirmados pelos demais institutos com certo atraso, sendo assim, Ibope e Datafolha acabam tendo que aproximar os resultados até para que suas manipulações não fiquem tão evidentes, afinal os institutos vão ter que continuar trabalhando após as eleições e com a credibilidade arranhada nenhum instituto de pesquisa sobrevive, nem com nome.
As variações drásticas observadas nessas correções mostram que os seus responsáveis preferem que seus institutos sejam acusados de apontar resultados inconsistentes e volúveis do que simplesmente deixar de manipular os resultados. Ibope e Datafolha, de institutos de referência passaram a ir de reboque das tendências observadas e confirmadas pelos institutos Vox Populi e Sensus.
Na verdade não ocorreram essas variações drásticas nas intenções de voto registradas por Datafolha e Ibope, a variação dos candidatos tem sido constantes e suaves como detectam Sensus e Vox Populi. Esses remendos grosseiros servem apenas para encobrir os rombos estatísticos de outras pesquisas.
Dilma já passou faz tempo
Uma análise racional feita em cima dos resultados coerentes dos institutos confiáveis projeta que as diferenças entre um e três pontos pró-Dilma registradas por Sensus e Vox Populi no mês passado, provavelmente aumentaram com o tempo, e não seria exagero imaginar que hoje a diferença deva estar entre cinco e oito pontos percentuais, e isso não é chute, é probabilidade em cima das estatísticas.
Essa opinião é corroborada com o levantamento que o Vox Populi fez para o PT no final de maio, com amostragem superior às das pesquisas de intenções de voto para presidente que normalmente são feitas, e que segundo alguns jornalistas divulgaram era de cinco pontos pró Dilma. A pesquisa não foi registrada, portanto como não pode ser divulgada oficialmente dá para se questionar se o resultado foi realmente esse divulgado, portanto pode servir apenas como um indício e não como uma prova estatística.
Subjetivamente o nervosismo na campanha tucana e mídia aliada mostra talvez que os levantamentos feitos a pedido dos partidos, dessas pesquisas que não são registradas e divulgadas, estejam mostrando que as coisas estão melhores para o lado de Dilma.
Se for mantida uma ordem seqüencial as próximas pesquisas provavelmente serão dos institutos Sensus e Vox Populi e poderemos ter uma idéia melhor do cenário atual, sem suspeita de manipulação em prol de um candidato, como foram as últimas pesquisas divulgadas por Datafolha e IBOPE.

Nenhum comentário: