sábado, 5 de novembro de 2011

Líder das FARC Alfonso Cano é morto

por @MartEdson  

O líder máximo da guerrilha comunista das Farc, Guillermo León Sáenz Vargas, também conhecido como Alfonso Cano, foi morto por tropas do Exército colombiano, anunciou nesta sexta-feira o governador do departamento de Cauca à Rádio Caracol. 
"As forças militares da Colômbia alcançaram um de seus objetivos militares mais importantes’, Alfonso Cano, que ‘foi abatido precisamente no ocidente do departamento’ de Cauca, disse o governador Alberto Gonzalez Mosquera. 
"Tropas do Exército e da Força Aérea realizaram uma operação entre os municípios de Suarez e Lopez de Mikay, onde mataram o 'histórico' Alfonso Cano’, revelou Alberto Gonzalez à AFP. 
"Conseguimos confirmar plenamente a morte de Cano. Ainda não sabemos os detalhes de como ocorreu, mas é um fato’, confirmou à AFP um oficial da inteligência militar. 
Cano era o substituto do chefe e fundador das Farc, Manuel Marulanda (Tirofijo), que morreu de ataque do coração em março de 2008. 
Em setembro de 2010, Jorge Briceno (Mono Jojoy), número dois das Farc e chefe militar da organização, foi abatido pelos militares. 
Fundada em 1964 e hoje com cerca de 8 mil combatentes, as Farc também perderam outros dois dirigentes históricos nos últimos anos: Raul Reyes, morto em um ataque aéreo contra o território do Equador, e Ivan Rios, assassinado por outro rebelde. Os dois integravam o bureau político das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. 
Mais cedo nesta sexta-feira, as autoridades haviam anunciado a prisão de 'El Indio Efraín', chefe da segurança de 'Alfonso Cano', capturado após intensas operações militares em Cauca. 
Com 'El Indio Efraín' foram detidos outros três membros da segurança de Cano, e no local da ação morreram uma mulher e o operador de rádio do grupo, conhecido por 'El Zorro'. 
A captura de 'El Indio' ocorreu na zona montanhosa entre os municípios de Suárez e Buenos Aires, onde prosseguiam intensos combates entre tropas do Exército e guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). 

Nenhum comentário: