sexta-feira, 23 de março de 2012

MPT investiga empresa de bauxita


Atendendo queixas relacionadas à saúde dos operadores de equipamentos utilizados na escarificação de bauxita, em Paragominas, o Ministério Público do Trabalho (MPT) divulgou ontem, uma visita, feita no início deste mês, a empresa Mineração Paragominas S. A., que atua na extração de bauxita, no Sudeste do Estado.

Uma equipe formada por um procurador do trabalho, um perito e um técnico especializado investigou as denúncias, que incluíam ainda o não pagamento de percentuais de insalubridade aos trabalhadores.

Realizada com o uso de um trator de esteira, a escarificação de bauxita é alvo frequente de queixas dos funcionários que operam o equipamento que reclamam de dores lombares.


Dispondo de 483 operadores em seu quadro funcional, dos quais 173 estão aptos a operar equipamentos para a escarificação de bauxita, foi sugerido à mineradora o estabelecimento de um critério objetivo para limitar o tempo de trabalho na atividade. A fiscalização do MPT verificou também alguns pontos que poderiam ser melhorados no Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional da empresa, no qual não constavam exames médicos de monitoramento de possíveis patologias lombares ou lesões na coluna vertebral. Dentre as recomendações feitas pela equipe do Ministério está a adoção de medidas de prevenção de lombalgias e a elaboração de um laudo técnico de insalubridade.

Segundo a assessoria do MPT, de modo geral, a empresa possui instalações adequadas disponíveis aos trabalhadores. Além de contar com laboratório do sono, ambulâncias e sinalização de segurança, para evitar acidentes em suas dependências, a mineradora também fornece corretamente equipamentos de proteção individual aos funcionários.

A Assessoria de Imprensa da Mineração Paragominas informou que já adquiriu um equipamento minerador de superfície, que vai substituir o trator de esteira que hoje faz a escarificação. A empresa também anunciou que vai comprar outros equipamentos do gênero ainda este ano.

O minerador de superfície já está em fase de testes. Segundo a assessoria, o equipamento realiza várias etapas do trabalho de mineração ao mesmo tempo, como a escarificação e a lavra, eliminando aquela etapa do processo. Por enquanto, a empresa adotou um sistema de rodízio na atividade para evitar os incômodos dos funcionários.

A empresa, segundo a assessoria, também está disposta a adotar todas as medidas necessárias para melhorar cada vez mais as condições de trabalho de seus funcionários.

Nenhum comentário: