segunda-feira, 2 de abril de 2012

Motorista de transporte coletivo maltrata idosa

Um motorista da Empresa Caliman perdeu as ‘estribeiras’ na semana passada ao maltratar na frente de todos os passageiros uma idosa de 65 anos de idade. A empresa Caliman afastou imediatamente o motorista.
Dona Maria Alves Frazão, de 65 anos de idade, subiu no coletivo na agência da Empresa Caliman que fica localizada na área do Mercado Municipal, ao sair com o ônibus de forma brusca, a idosa, que ainda estava de pé, caiu no colo de outra passageira, machucando-se ao tentar se segurar.
Ao reclamar com o motorista, ela foi destratada na frente de todos os passageiros, que ficaram revoltados com a situação. Ela foi chamada de safada e outros palavrões, que a deixou totalmente constrangida.

A discussão continuou, segundo ela, até a entrada do bairro Promissão III, quando uma senhora grávida e outros passageiros ficaram com mêdo, porque o motorista estava dirigindo em zigue-zague. “Velho tem mesmo é que morrer”, era uma das frases ditas com frequência pelo motorista.

Na manhã seguinte, ao tentar entrar em contato com a direção da empresa, ela encontrou novamente o motorista e mais uma vez foi destratada por ele que a chamou de velha fofoqueira.

A idosa garante que vai procurar o Ministério Público para denunciar o caso. Mas antes, procurou a nossa reportagem que imediatamente entrou em contato com o Gestor de Operações da Empresa Caliman, Henrique Pereira de Sousa que tomou as providências necessárias que o caso requer.

Em reunião com este jornalista e a idosa Maria Frazão, Henrique garantiu que o motorista, que já havia sido identificado, seria afastado imediatamente da empresa Caliman, e que este ato serviria de exemplo para todos os outros motoristas pois a Caliman não tolera em nenhuma hipótese atitudes como esta que foi cometida por esse profissional. Disse ainda o gestor Henrique que qualquer cidadão pode procurar a empresa para denunciar abusos de seus profissionais e que todas as informações serão apuradas e tomadas as devidas providências.

Nenhum comentário: