sábado, 5 de março de 2011

Crítica de Matarazzo a Alckmin reacende racha tucano

Secretário de Cultura de SP afirmou em 2006, segundo o WikiLeaks, Que governador não tinha o apoio tucano contra Lula 
Roberto Almeida e Anne Warth, da Agência Estado / Estadão.com.br
Aliados do governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB) consideraram "gravíssimo" o conteúdo do telegrama revelado pelo site WikiLeaks, que envolve conversas entre o atual secretário de Cultura de São Paulo, Andrea Matarazzo, e diplomatas norte-americanos em 2006. Reservadamente, eles dizem que o documento tem potencial de reacender a traumática disputa interna do PSDB durante a eleição presidencial daquele ano, quando Alckmin foi candidato ao Palácio do Planalto sem contar com o apoio total do partido.
À época do despacho interceptado pelo WikiLeaks, Matarazzo era secretário das Subprefeituras da capital paulista, então administrada por José Serra. Segundo o telegrama, diplomatas consultaram Matarazzo sobre as chances reais de Alckmin bater Lula nas urnas.”

Nenhum comentário: