quinta-feira, 3 de junho de 2010

Professor pedófilo é enjaulado em Ananindeua.

A desconfiança começou a partir de atitudes diferentes de um menino de 5 anos. Ele passou a demonstrar uma sexualidade aflorada dentro de casa. Após uma conversa, a mãe descobriu que a criança havia sido abusada sexualmente e que o agressor seria Paulo Cristiano Martinho Pinheiro, de 25 anos, funcionário de uma escola, na Cidade Nova 5, em Ananindeua.
Ao descobrir o crime, a mãe obteve ainda informações de que além do filho, outros colegas dele, do mesmo colégio, haviam sofrido o mesmo abuso. Ela imediatamente contou aos pais das outras crianças e eles ficaram horrorizados com a situação.
As quatro mães foram até o Pró-Paz, na última segunda-feira, e denunciaram o pedófilo. As crianças foram ouvidas por psicólogas do setor social e a seguir foram encaminhadas para exames, cujos resultados preliminares comprovaram abusos sexuais em todas elas, sendo dois meninos e duas meninas.
“Pelo que as crianças contaram, houve penetração. Elas narraram inclusive como ele (Paulo) fazia. Pois, como ele é alto, tinha que se abaixar para praticar o crime”, disse a delegada Simone Machado, do Pró-Paz.
A partir das informações das vítimas e dos peritos que confirmaram os abusos, a delegada Simone Machado solicitou a prisão preventiva do acusado e ele foi preso ontem à tarde, por volta de 14h, dentro da escola.
O acusado foi levado para o Pró-Paz, onde prestou depoimento e depois foi encaminhado para a Delegacia Geral, onde, perante a imprensa, negou todas as acusações. “Isso não é verdade, eu vou provar. Não tenho nada para esconder e vou provar minha inocência”, afirmou o acusado. Enquanto dava sua versão, Paulo foi surpreendido pela delegada Socorro Maciel, da Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data): “Já foram feitos exames e já está comprovado que houve abuso nas quatro crianças”, disse. Paulo insistiu em dizer que devia estar havendo algum engano e que já é professor há cinco anos e nunca foi preso. Na escola da Cidade Nova, o acusado atua há quatro meses.
“A característica do pedófilo é de ter um bom diálogo e com isso ganha rapidamente a confiança das pessoas. Mas, a gente já tem absoluta certeza de que ele praticou os crimes”, disse a delegada Socorro Maciel.
Paulo foi autuado por estupro de vulnerável e pode pegar uma pena que varia entre 8 a 12 anos de reclusão, por cada vítima. Ainda ontem, ele foi encaminhado para o Centro de Recuperação do Pará (no antigo complexo penal de Americano), em Santa Izabel do Pará.

3 comentários:

BRUTUS disse...

Se fizer uma batida aqui em Sta Luzia, com certeza a policia vai achar nas escola um méstre que gosta de brincar com crianças

Anônimo disse...

"Eu acho que a delegada se precipitou em prender este rapaz ele foi preso como ela diz atraves dos exames preliminares de uma psicologa e o exame deu negativo e ai como fica a situação do profº???

Anônimo disse...

FOI DESCOBERTO QUE A DENUNCIA FOI UMA INVERDADE,POIS NÃO HÁ NEM PASSAGEM DESTAS CRIANÇAS NA PERÍCIA TÉCNICA RENATO CHAVES. E AGORA COMO FICA O PROF? O QUE A POLICIA VAI FAZER MEDIANTE Á ESTA ACUSAÇÃO, SÓ RESTA CONFIAR NA JUSTIÇA DOS HOMENS OU DE DEUS. PROFESSORES TOMEM CUIDADO....