quinta-feira, 3 de junho de 2010

Por Meg Barros: Palavras que o vento não Leva...

Regina Duarte.
Depois que ela deu este depoimento que pode ser assistido novamente, e por várias gerações, graças à tecnologia da rede mundial de computadores, simplesmente escondeu-se do Brasil. Passou bastante tempo sem protagonizar as históricas personagens que costumava representar e mostrou os sinais do tempo no envelhecimento notório fora das telas.
Regina Duarte perdeu. E nas eleições de 2002 foi eleito, pela primeira vez, Luiz Inácio Lua da Silva, o operário analfabeto de quem ela tinha tanto medo.
Ao contrário do que disse, dominou a inflação e promoveu um ritmo de crescimento econômico em duas terríveis crises internacionais.
É Regina, palavras o vento não leva assim tão longe...

Nenhum comentário: