domingo, 13 de junho de 2010

Convenção do PMDB tem participação de Dilma.

A pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, disse neste sábado (12), durante a convenção nacional do PMDB, que se for eleita vai dar continuidade “à luta do governo do presidente Lula”. Dilma participou da oficialização do deputado Michel Temer como vice na chapa do PT.
A ex-ministra da Casa Civil disse que o Brasil hoje tem autoestima e verdadeira soberania. “Nós iremos continuar a luta dos dois governos do presidente Lula”, declarou. Dilma prometeu fazer, caso eleita, a reforma política e trabalhar pela aprovação do financiamento público das campanhas.
A pré-candidata afirmou que vai dar continuidade ao “futuro que já começou” de desenvolvimento social. “Vejo um futuro em que todos os brasileiros terão casa própria. Um futuro com a erradicação total da pobreza. Que terá a urbanização de favelas e transporte eficiente para todos os brasileiros. Esse futuro já começou. Vamos prosseguir realizando todas aquelas conquistas do governo do presidente lula. Vamos continuar demonstrando a nossa competência”, afirmou.
Dilma deve ser oficializada como candidata do PT à Presidência na convenção do partido marcada para este domingo (13), em Brasília.
A ministra começou seu discurso com um resumo da história política do Brasil. Ela fez várias referências à luta contra a ditadura militar e elogiou Ulysses Guimarães pela participação do parlamentar na redemocratização do país.
“Quero elogiar nesse plenário na Casa em que ele esteve e foi líder durante muitos anos, o grande Ulysses Guimarães. Vocês lembram melhor do que eu. Era 1973, naquela época a gente ficava muito apertado entre a desesperança e a falta de luz no fim do túnel. A esperança parecia uma coisa fazia. Ulysses se lançou candidato de uma forma especial. Ele era um anticandidato. Se lançou anticandidato como protesto à ditadura e usou sua palavra como arma”, disse.
A ex-ministra da Casa Civil também elogiou o presidente do Senado, José Sarney (AP-PMDB), a quem chamou de “grande líder”. Ela defendeu ainda a justiça social e parafraseou Trancredo Neves ao afirmar que não pode haver desenvolvimento sem distribuição de renda.
“No discurso de posse, o discurso que o Tancredo faria perante o Congresso Nacional ele nos deixou algumas palavras que também servem de rumo para nós.’Enganam-se os que imaginam possível levantar uma nação livre sobre os ombros de um povo explorado, doente, marginalizado e triste. Uma nação só crescerá quando crescer cada um de seus cidadãos, na saúde, alegria e liberdade'”, afirmou.

Nenhum comentário: