terça-feira, 2 de março de 2010

Ana Júlia empossa três novos secretários, mas mantém Ganzer nos transportes .


A governadora Ana Júlia Carepa deu posse, na noite desta segunda-feira (1), aos secretários de Estado de Desenvolvimento Urbano, José de Andrade Rayol; Cultura, Cincinato Júnior Marques; e Casa Civil, o médico santareno Everaldo Martins Filho. Os secretários anteriores destas pastas, Suely Oliveira, Edilson Moura e Cláudio Puty foram nomeados assessores especiais e continuam colaborando com o governo.

O secretário de Transportes Waldir Ganzer também deixará o cargo e retornará à Assembléia Legislativa, para reassumir seu mandato. A substituição não ocorreu nesta segunda para não interromper as negociações em curso na Assembléia Legislativa, coordenadas pelo líder do governo, Airton Faleiro, em torno da autorização de empréstimos, como os R$ 366 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para obras em andamento.

A posse dos novos secretários foi acompanhada por representantes de movimentos sociais e políticos, presidentes de agremiações partidárias, secretários de Estado, representantes de instituições públicas e servidores. O ministro-chefe das Relações Institucionais da Presidência da República, Alexandre Padilha, também prestigiou o evento,

A governadora explicou que os secretários substituídos cumprirão outras tarefas no governo e quanto mais cedo se engajarem nessas novas atribuições melhor para que alcancem o sucesso desejado.

A governadora agradeceu a dedicação e o empenho dos auxiliares que deixam as funções e disse sentir orgulho de ter nomeado para a Cultura o melhor secretário que o Pará já teve. Edilson Rodrigues deu ênfase à interiorização da cultura e aos pontos de cultura, que já chegaram a 35 municípios, às 35 salas de cinema comunitário e à reforma do Palácio Lauro Sodré e da Catedral de Belém.

Ana Júlia referiu-se à Suely Oliveira como uma guerreira e revelou que ela foi uma das pessoas a apoiar sua primeira campanha pública. Suely Oliveira lembrou que, quando assumiu a Sedurb, a secretaria só tinha o nome. Havia apenas três servidores efetivos e logo no primeiro dia da sua gestão uma sala pegou fogo por falta de manutenção na rede elétrica. Segudo ela, hoje a Sedurb mantém obras em mais de 100 municípios, seja com projetos de urbanização ou saneamento.



Sobre o secretário Cláudio Puty, a governadora lembrou que sempre esteve presente nas lutas sociais e na construção do PT, apoiando-a na disputa eleitorial aos diversos cargos a que ela se candidatou. Ana Júlia lembrou que, em determinado período, ele se afastou para concluir sua formação acadêmica, mas não hesitou quando convocado a compor o Governo Popular.



No primeiro ano de governo, Puty coordenou a elaboração de projetos, muitos deles incluídos no Programa de Aceleração do Crescimento, e a captação de recursos para financiá-los. Foi o responsável pela relação de diálogo permanente com os movimentos sociais e pela consolidação de uma ampla base política de sustentação ao Governo Popular. Ele se colocou à disposição do novo titular da Casa Civil, Everaldo Martins, e conclamou a todos à defesa das conquistas do Governo Popular.

Everaldo Martins disse que se sente orgulhoso por ter sido convocado pela governadora Ana Júlia para assumir a Casa Civil de um governo que tem compromisso com o povo. "Não são apenas palavras, mas ações, obras e idéias que são materializadas". Os deputados estaduais da base aliada manifestaram apoio aos novos secretários por meio de uma mensagem escrita pelo deputado estadual Airton Faleiro, líder do governo na Assembleia.



O ministro Alexandre Padilha, que morou no Pará por muitos anos, fez questão de prestigiar a posse. Segundo ele, a cara do presidente Lula no Pará é a mesma cara do governo Ana Júlia. Ele encorajou os novos titulares a defender as realizações do governo, a não deixar nenhuma crítica sem resposta, porque "ninguém tem moral para dizer que fez melhor ou que tem um projeto melhor que o de Ana Júlia".



Padilha recomendou a Everaldo Martins manter o diálogo permanente com os movimentos sociais, Assembléia Legislativa, especialmente nesse momento em que o governo negocia a concessão de um empréstimo. Ele defendeu a aprovação da matéria dizendo que não é possível que o Pará seja o único estado a não captar esses recursos, disponibilizados pelo governo federal por causa da crise econômica internacional que provocou estragos na arrecadação e nos repasses do governo federal.



Na avaliação da governadora Ana Júlia, Everaldo Martins é firme em suas convicções, tem experiência e saberá usar de bom-senso no trabalho do convencimento político. "O diálogo é melhor caminho para fazermos grandes alianças e continuarmos a transformação iniciada no nosso governo".

Nenhum comentário: