quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Virgienses e Cabraçurdos arrastam multidão em Vigia.



Vigia (PA) - O maior e mais animado carnaval do nordeste paraense reuniu, nesta segunda-feira (15), cerca de 150 mil pessoas em Vigia de Nazaré, a 110 km de Belém. Os números foram divulgados pela Polícia Militar, que reforçou a segurança nas ruas da cidade, elevando o efetivo para 150 homens.
Dois blocos tradicionais levaram humor e irreverência para as estreitas ruas do histórico município paraense. As Virgienses, bloco em que os homens se vestem de mulheres, e os Cabraçurdos, onde as mulheres se vestem de homens.
Os Virgienses arrastaram o maior número de foliões. O desfile feito com desembaraço provocou uma explosão de risos entre moradores e visitantes de Vigia.
Quem poderia ficar sério vendo homens vestidos de diabinhas, colegiais, bailarinas, fadas, oncinhas ou simplesmente com uma peruca colorida e um vestido improvisado? A socióloga Ivaneia Alves veio de Macapá conferir a animação do bloco e ficou contagiada de alegria. "Eles são espontâneos demais", disse ela, referindo-se aos Virgienses.
Às 13h30, os brincantes do bloco começaram a vestir a fantasia. Um grupo de 12 amigos apresentou na avenida "as superpoderosas". Outros preferiram sair de "borboletas". Vestidos com elegância e fazendo caras e bocas, ninguém ficou parado, principalmente quando havia uma câmera fotográfica ou de televisão por perto.
No final da tarde, todos estavam prontos para o desfile. No meio da multidão que tomou conta das ruas da cidade havia jornalistas, advogados, professores, estudantes e até políticos travestidos de mulher. O cortejo foi puxado por um trio elétrico e regado a muita bebida. Até o final da tarde, nenhuma ocorrência policial havia sido registrada pela polícia.
O capitão Manuel Félix, coordenador do policiamento em Vigia, nesta segunda de Carnaval, disse que o movimento na cidade era tranquilo, apesar da quantidade de pessoas nas ruas. "Não tem quase nada de registro", disse o militar, referindo-se a todos os dias da folia na cidade. "No máximo que houve até agora foram tumultos isolados".
Mulheres - No bloco Cabraçurdos, onde as mulheres se vestem de homens, a animação também foi contagiante. O bloco foi puxado por um trio elétrico com banda de música. O desfile delas foi mais compacto, sem dispersão como aconteceu entre as Virgienses. Homem que se atrevesse a entrar no meio da mulherada era colocado para fora.
O bloco das mulheres travestidas de homens completou 17 anos em 2010. No desfile delas, a irreverência também é geral. As foliões não têm vergonha de brincar com o órgão sexual masculino, quando exibem suas fantasias. Policiais, bombeiros, militares, carteiros e, este ano, até imitadoras do Michel Jackson, caíram na folia.
Turista - O venezuelano Diego Galindo Aguirre, 24 anos, foi convidado pela empresária Claudia Rodrigues, sua namorada que mora em Belém, para passar o carnaval em Vigia. Ele ficou impressionado com a animação dos foliões dos blocos As Virgienses e Os Cabraçurdos.
"Tem muita gente bonita aqui, homens bonitos, mulheres bonitas", disse ele, que também se vestiu de mulher para brincar o carnaval. "As pessoas têm liberdade de se expressar. Nunca vi um homem passar por uma mulher sem conhecer e beijá-la", observou Diego.
A tranquilidade do carnaval em Vigia foi outro ponto considerado pelo estrangeiro. Ele destacou que não viu nenhuma briga ou confusão na cidade durante os dias em que esteve lá. O prefeito Noé Palheta informou que 500 pessoas contratadas estavam envolvidas na segurança durante o Carnaval.
Ele informou ainda que o governo do Pará destinou 60 mil reais para a prefeitura investir em infraestrutura do Carnaval, como a construção de palcos e arquibancadas no espaço cultural da cidade.

Nenhum comentário: